Para que serve o fundo de reserva?

Fundo de reserva é fundamental para despesas emergenciais

Em linhas gerais, o Fundo de Reserva tem como principal função garantir a continuidade e o bom funcionamento do condomínio em casos de despesas imprevistas e emergenciais, ele também pode ser utilizado para investimentos futuros no condomínio. Mas diante do cenário no qual vivemos vale levantar as seguintes questões: a pandemia não configura imprevisibilidade e emergência? Não é hora de repensar a utilização do Fundo de Reserva? Por que não usar o recurso de uma forma muito mais humana?

Talvez muitos dirão que não faz sentido as indagações do parágrafo anterior, visto que pensar no condomínio é o mesmo que pensar nos condôminos, uma vez que o serviço prestado por um é para o benefício do outro, mas não é bem assim. Em cada unidade a realidade é diferente e nem sempre a inadimplência de um condômino se dá por má fé, mas por dificuldades financeiras decorrentes do cenário de crise. 

Para ter um parâmetro, conforme dados de 2019 do IBGE, a maior parte dos desempregados brasileiros leva até 1 ano para arrumar um emprego, mas as dívidas, inclusive a cota condominial, não param de chegar durante o período. 

Então, como repensar o Fundo de Reserva para proteger os condôminos contra crises? 

UMA NOVA PROPOSTA PARA O FUNDO DE RESERVA

As opiniões de especialistas do segmento defendem que a cota condominial não deve ser suspensa para utilização do Fundo de Reserva num período determinado durante a pandemia, por se tratar de valor correspondente ao rateio das despesas. Porém, após reflexão sobre o cenário da situação vale a pergunta: por que não?

Diversos governos, empresas e outras organizações estão tomando ações fora do comum para enfrentar a pandemia. Por que para os condomínios a situação é diferente? Veja alguns exemplos disso:

Para combater a pandemia do coronavírus, o governo americano aprovou um pacote de estímulo à economia no valor de US$ 2 trilhões, sendo que, cerca de US$ 500 bilhões serão destinados aos milhões de famílias americanas, que receberão entre US$ 1.200 a US$ 3.000. Entre as ações do governo brasileiro, foi aprovado uma ajuda financeira de R$ 600 a R$ 1.200 para a população de baixa renda durante 3 meses. Nesses dois casos, os governos não estão dando dinheiro para população, mas devolvendo parte dos impostos para a sociedade numa situação de crise. 

Usando os exemplos acima, e nas suas devidas proporções, por que o Fundo de Reserva de um condomínio não poderia ser usado para ajudar os condôminos nesse momento para aliviar a pressão do pagamento da cota condominial? Fazer isso não seria um favor, visto que o Fundo de Reserva é dinheiro arrecadado junto aos condôminos. 

Durante a pandemia, é provável que a operação da maioria dos condomínios continue sem muitos impactos, porque o déficit da conta ordinária, ocasionado pelo aumento da inadimplência, provavelmente, seja financiado pelo Fundo de Reserva. 

No modelo atual, o foco é o condomínio e ele não leva em consideração que no final haverá condôminos, que devido aos impactos na economia, ficarão com uma conta relevante de cotas vencidas para pagar. Acredite, até os bons pagadores poderão ingressar na lista de inadimplentes.

Como podemos ajudar? Agindo como uma linha de defesa na identificação de problemas e potenciais riscos na gestão financeira do condomínio, proporcionando mais transparência e segurança na aprovação da prestação de contas. Que tal conversar com a MB7 para conhecer todos os benefícios da auditoria em condomínios?



Deixar um Comentário