Entenda como funcionam os condomínios residenciais sustentáveis

A adoção de tecnologias sustentáveis nos novos condomínios residenciais é uma forte tendência. Une maior conforto, menor consumo de água, eletricidade e gás, e maior economia no bolso dos moradores.

A adoção de tecnologias sustentáveis nos novos condomínios residenciais é uma forte tendência nos próximos anos. Além de maior conforto térmico e acústico para seus moradores, os condomínios residenciais sustentáveis consomem menos água, eletricidade e gás. Dessa forma, as despesas condominiais menores ajudam também no bolso dos moradores.

Quais são as tecnologias sustentáveis dos novos condomínios?

Os novos empreendimentos consideram a sustentabilidade ao longo de todo o ciclo de vida de mais de 50 anos do condomínio. Alguns exemplos de tecnologias:

  1. Sistemas fotovoltáicos: para geração de energia elétrica capaz de atender a demanda das áreas comuns do condomínio e até abastecer os apartamentos. A adoção de modelos de energia solar por assinatura possibilita economias e sustentabilidade para todos os condomínios. Inclusive aqueles que não dispõem de verbas de investimentos ou espaço disponível.
  2. Aplicação de Internet das Coisas (IoT): para consumo consciente de água e energia. O uso cada vez mais intensivo de sensores e controladores permitem otimizar o uso dos recursos naturais. Por exemplo: controle automático da iluminação ao longo do dia. Ou ainda, ajuste programado da temperatura nos aparelhos de ar condicionado conforme o número de pessoas no salão de festas.
  3. Portaria autônoma virtual e Fachada inteligente autolimpante: Uso de tecnologia para controle de acesso e fluxo de pessoas, além de novos materiais e técnicas construtivas para maior conforto térmico. Os vidros duplos insulados nos dormitórios, vidros “habitat” nas salas e esquadrias vedadas com cremona de pressão diminuem o consumo de energia para condicionamento térmico. Além disso, amplas esquadrias em todas as dependências diminuem a necessidade de uso de iluminação artificial e, consequentemente, gasto de energia elétrica durante o dia.
  4. Área de estacionamento e recarga de carro elétrico: uma tendência forte nos países da União Européia que deve checar aqui nos próximos 5 anos.
  5. Coleta da água: a água gerada pela condensação dos aparelhos de ar-condicionado e da chuva pode ser coletada, armazenada e tratada para utilização em irrigação dos jardins e das hortas comunitárias do condomínio.

Fonte: DCI

Publicações Relacionadas

10 fatos que seu condomínio precisa saber sobre a Conta Pool
10 fatos que seu condomínio precisa saber sobre a Conta Pool Há benefícios e riscos no formato da Conta Pool e um auditor independente pode fazer toda a diferença. A Conta...
A importância, cada vez maior, da Auditoria na Gestão de Condomínios Auditoria não é sinônimo de desconfiança, pelo menos não deveria ser. Mas em se tratando da Governança de Condomínios, quando...
Como declarar os rendimentos recebidos por síndico de condomínio? Pergunta do leitor: Como são tributados os rendimentos recebidos por síndico de condomínio e como devem ser informados na Declaração de...

Quer receber todas as novidades da MB7?

Assine nossa news e receba diretamente no seu email.




Deixar um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.